jusbrasil.com.br
8 de Abril de 2020

A Síndrome que impede você de passar em concursos

Conduta de muitos concurseiros, ela elimina a capacidade de enxergar e superar grandes desafios

Coruja Concurseira, Estudante de Direito
Publicado por Coruja Concurseira
há 5 anos

Há pouco tempo, uma das maiores vilãs da televisão brasileira foi interpretada pela atriz Adriana Esteves na novela Avenida Brasil. Carminha era maldosa, sensual e engraçada, era quase impossível não se apaixonar por ela. No entanto, Carminha carregava consigo uma característica bem peculiar, que se exteriorizou através de uma frase que virou memes nas redes sociais: “É tudo culpa da Rita”.

A Sndrome que impede voc de passar em concursos

Se alguma coisa é difícil, “a culpa é da Rita”, se não consegue conquistar algo, “culpa da Rita”, isso demonstrou uma característica comportamental batizada pelo consultor empresarial Sergio Ricardo da Rocha de “Síndrome da Carminha”, que nada mais é do que o clássico comportamento de transferir para os outros, culpas que muitas vezes são próprias.

Esse tipo de comportamento é uma fuga para ‘terceirizar’ para os outros a responsabilidade por um problema. Quando o problema é do outro, a solução passa a ser dele também. Do que não adianta fazer nada, pois não existe solução, se não deu certo, a culpa não é minha, é do outro.

Esta tem sido a conduta de muitos concurseiros. Ela elimina a capacidade de enxergar e superar grandes desafios, pois somente podemos mudar, ajustar e melhorar as nossas ações, que estão sob o nosso controle. O fator comportamental faz toda a diferença para a realização de um objetivo. A forma como as pessoas reagem e enfrentam os problemas é determinante para o sucesso.

Ser aprovado em um concurso público em uma ótima colocação (de preferência) exige uma grande quantidade de estudos, organização e equilíbrio emocional. O primeiro tem a ver diretamente com estudar o conteúdo, os outros dois são comportamentais: saber organizar seu tempo de estudo, ordem das matérias, e também manter a calma, acreditar em si e saber que, com organização, terá tempo para tudo.

Geralmente, aqueles candidatos que vêm tentando há mais tempo passar numa seleção, apontam fatores externos para justificar a dificuldade de passar numa prova: excesso de rigor, professores ineficientes, falta de apoio de família, dentre outros. Mas quem continuar pensando desta forma, continuará sem ser aprovado.

O candidato vencedor é aquele que mata a bola no peito e chama a responsabilidade para si. Você é o responsável direto pelo seu sucesso ou o seu fracasso. Policie-se, não deixe a síndrome da Carminha pegar você.

Se quer o sucesso, vai lá e faz o que for necessário. Com este comprometimento, metade do caminho já estará percorrido. Tenha em mente o seu objetivo, estabeleça suas prioridades, organize seu tempo, faça planejamento e prepare-se para o sucesso.

Se você tem interesse em ser mais estratégico e otimizar os seus estudos para concursos, o ex-defensor público Gerson Aragão está disponibilizando gratuitamente o seu livro com as técnicas que fizeram ele ser aprovado em vários concursos. Para baixar o livro gratuitamente clique aqui.

10 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Estudo pra concurso há um tempo e trabalho como advogada. No entanto, as vezes me pego pensando que um cargo público não tem nada a ver com minha verdadeira vocação. É mais difícil quando se estuda pensando somente na famosa estabilidade. continuar lendo

Cara Fernanda,

É por isto que este termo "concurseiro" é uma afronta ao princípio constitucional da eficiência, previsto no art. 37 da Constituição Federal.

Há tempos venho criticando este termo. Dá a ideia (e a prática também mostra) de que as pessoas não selecionam o cargo dentro do órgão que possuem vocação e perfil. Buscam apenas os bons vencimentos e estabilidade.

Não a toa que os serviços públicos no nosso País são péssimos. Um direito de todo cidadão (eficiência nos serviços públicos) não é respeitado por conta de muitos que sonham em "ingressar" na máquina pública sem visar a eficiência como prioridade.

Saudações. continuar lendo

Eu conheço muita gente que tem a "síndrome da Carminha"!!! continuar lendo

Srª Fernanda,
saudações.

Concordo com o que escreveu. A pressão deve ficar ainda maior em tempos de crises, tempos em que quase não se fala em abertura de concursos. Estabilidade Profissional para o Brasil de hoje chega a ''encher os olhos!"
Como focar nos estudos quando estamos preocupados com nossos empregos?!
Como estudar todos os dias se trabalhamos, fazemos compras, levamos filhos na escola, andamos de condução?!
Como separar horas diárias com os livros se nem ao menos conseguimos acessa-los
mesmo com todo avanço da comunicação.?!
Sou casado, minha esposa e eu trabalhamos e não temos filhos. Sentimos muita dificuldade para nos preparar para concurso.
Imagine a quantidade de situações adversas que podem tirar os estudos de prioridade?!
A verdade é que sem os estudos não somos nada!
A verdade é que muitos não veem os estudos como algo que podem leva-los ao crescimento. acredito que não ensinam a ensinar isto na escola. E, os jovens de hoje tem muitos outros motivos para se ocuparem, e quando procuram estudar notam o quanto estão atrasados. Com isso se frustam! Seguem a Rotina. continuar lendo

Há o fator emocional sem dúvida, e a tal síndrome é presente na vida de muita gente. Mas como é comum nos textos motivacionais para concursos, esse ai joga toda a responsabilidade no concurseiro, um discurso muito semelhante ao religioso, especialmente neopentecostais, nessas, o pecador tem de se redimir de seus pecados para alcançar o céu, mudar sua personalidade, hábitos, etc, para os gurus dos concursos é a mesma coisa, a vaga só depende do candidato, se ele não conseguiu é porque não se esforçou o suficiente e se conseguiu sempre tem uma outra melhor. Falácia! O continuar lendo